As to-do lists (vulgo, listas de tarefas) estão no mundo da produtividade há muito tempo. De fato, elas são úteis quando o assunto é planejar-se e eleger prioridades para ser mais produtivo e eficaz.

Porém, é muito fácil cair na armadilha de nunca terminar a sua lista de tarefas ou transformá-la em uma lista muito longa e praticamente impossível de ser realizada. Essas situações só contribuem para que você fique estressado e sobrecarregado.

Por isso, se você quer elaborar to-do lists melhores que te ajudem a ser mais produtivo e terminar mais coisas, você está no lugar certo. Neste post, vamos te contar 4 mudanças para aplicar e realizar listas de tarefas realmente eficientes. Continue lendo e confira!

1) Crie uma lista principal de tarefas

foto1.jpg

A primeira mudança é criar uma lista principal de tarefas, separada da sua lista de tarefas semanais. Nela, você manterá o controle de tudo que surgir à sua cabeça, como ir no mercado, comprar a comida do seu pet, coisas que eventualmente você deseja fazer, como aprender uma língua nova ou escrever um livro, etc.

Assim, a partir desta “master list”, você pode abastecer sua lista de tarefas diárias e semanais, sempre fazendo questão de não se esquecer de nenhum compromisso e não deixar de agir para conquistar algum objetivo.

2) Referencie seus objetivos

foto2.jpg

A segunda mudança é referenciar seus objetivos quando você está elaborando a sua lista de tarefas semanais.

De fato, se você sabe qual tipo de casa quer ter no futuro, qual língua quer aprender mas não coloca em sua lista de tarefas coisas como “criar orçamento para casa dos sonhos” ou “procurar cursos de tal idioma”, você está fazendo sua lista de tarefas da maneira errada.

Por isso, você deve criar um sistema que garanta que, quando você estiver preenchendo sua lista de tarefas, você esteja referenciando as atividades aos seus objetivos e às coisas que realmente deseja alcançar.

Caso contrário, você terá listas de tarefas que sempre te mantém ocupado, mas que nunca te levarão para o próximo nível e para conquistas das quais você se orgulha.

3) Crie um equilíbrio entre atividades que te exigem energia e atividades que te dão energia

foto3.jpg

Sua vida não deve ser preenchida apenas com atividades que demandam energia, como limpar sua caixa de e-mail, entregar aquele relatório, etc. De fato, você também precisa preencher seus dias com atividades que geram energia, como se exercitar, conversar com um amigo, dar uma volta, etc.

Se você não sabe quais tipos de atividades geram energia, pense em atividades que se* alinham com seus pilares de autocuidado*, como se movimentar, se manter hidratado e estar em dia com sua nutrição.

Além disso, também há outro tipo de atividades que geram energia: aquelas que estão alinhadas com seus valores pessoais. Aqui entram aprender uma língua nova, tocar violão, aprender algo novo, ir em uma aventura, etc.

Atividades que geram energia são extremamente importantes, pois se você só faz coisas que consomem energia, a vida parecerá problemática para você. Além disso, em algum momento haverá um desequilíbrio que pode gerar desgaste emocional - famoso burnout - e improdutividade.

4) Pare de sobrecarregar sua lista de tarefas

foto4.jpg

Por fim, a última mudança é parar de sobrecarregar sua lista de tarefas. De fato, se você está sempre enchendo sua lista de tarefas com muitas atividades e só realiza apenas duas ou três, saiba que você está dando a si mesmo o feedback de que você é uma pessoa que nem sempre consegue finalizar aquilo que se comprometeu.

Porém, ao definir menos tarefas, todavia tarefas realmente importantes, você será mais realista sobre o que você é realmente capaz de fazer, além de criar uma identidade de alguém que segue aquilo que foi proposto.

Assim, estruture sua lista de tarefas para que você comece seu dia com a coisa mais importante, aquela que, se fosse a única coisa que você fizesse no dia, você estaria completamente satisfeito. Em seguida, adicione o restante das coisas que você gostaria muito de realizar também.